Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

The Watcher Of Dreams

The Watcher Of Dreams

22
Mar18

Ficam melhores com a idade

C.

Ontem depois do trabalho, eu e as minhas colegas de casa fomos um bocadinho a uma esplanada. O assunto foi parar, como é óbvio, à minha não vida amorosa. Digo "como é óbvio" porque eu sou muito reservada em assuntos que considero pessoais e não falo sobre nada. Se forem perguntar à minha melhor amiga como é que foi a minha primeira vez, ela não sabe porque eu nunca lhe contei. Sou da opinião que as minhas coisas são exactamente isso: minhas.

Contei-lhes que engracei com um gestor lá do escritório. Sim, meninas, eu sei! Engraço com tudo o que tenha pernas. Só que não. Ainda estou a estudar a situação.

Após falarmos um bocado sobre o assunto, concluímos que eu sou completamente diferente delas. Eu vou buscar o que quero. Elas gostam de ser conquistadas. Se eu quero uma coisa (ou pessoa, neste caso) e as circunstâncias o permitem (querendo dizer ausência de namoradas, mulheres ou namorados), eu tenho a paciência suficiente para trabalhar a situação a meu favor e ir buscar o que quero. Nem que seja só uma noite entre os lençóis. 

Lembram-se do rapaz das pipocas? Estive dois anos a ir àquele cinema. Tudo bem, eu ia mesmo ver os filmes. Mas também o ia ver a ele. Podia ter sido algo fantástico e não foi porque acontece que não tinha uma personalidade de acordo com a minha. Paciência. Não houve lençóis, houve chão e depois nada. Porque não me senti segura com ele e não quis repetir a peripécia.

Moral da história: a C. quis, a C. fez acontecer. Tal como faço sempre com tudo. Seja a nível profissional ou pessoal.

Concluímos ainda que sempre que alguém tenta aproximar-se de mim com interesses românticos, fecho-me em copas. Fecho-me de tal maneira que não há buraquinho por onde furar as minhas defesas. Isto acontece por norma com pessoas com quem eu não quero estar ou sequer pensar no assunto. Acontece muito com amizades também. Se algum se estica, eu paro logo ali a coisa. Se eu tenho a amizade é porque é a amizade que quero ter. Se quisesse mais que isso, ia buscar. 

Ando a estudar a situação do gestor, mas com muito cuidadinho. Porque acusações de assédio são algo que se tem que ter em conta hoje em dia, tanto para um lado como para o outro. Antes de mandar uns sorrisos e uns olhares, há que descobrir se existe alguém na vida dele. Tenho um amigo mais stalker que eu encarregue disso. Vou dizer que tem, pelo menos, mais dez anos que eu. Fica muito bem de fato. É surfista. E pronto, aqui ando eu com mais uma das minhas aventuras que acabam sempre por não dar em nada.

Depois tenho aquele problema de os achar melhores com a idade...mas com alguns limites, não é? Este está mesmo ali no ponto.

Mais sobre mim

foto do autor

Free Delivery on all Calendars at the Book Depository